eskisehir escort porno
xxnx com
umraniye escort
porn turk sikis
sivas escort yalova escort
escort malatya escort manisa
izmir escort bayan porno gratis
ankara escort
huluhub.com
sex movies
kurtkoy escort
porno xxx bf hindi
kusadasi escort bayan
kocaeli escort
gaziantep escort antep escort
izmir escort gaziantep escort
suckporn pornstereo

INCAJU produz em média cerca de 140 mil toneladas da castanha por campanha

Na cerimónia de abertura da I Sessão do Conselho Técnico do Instituto de Fomento de Caju realizada a 19 de Setembro em Maputo para aprovação de Preço de Referência da castanha de caju para o Lançamento da Campanha Agrária 2019-2020, o Ministro da Agricultura e Segurança Alimentar, Higino Francisco de Marrule disse que, no presente quinquénio o INCAJU registou um crescimento assinável na produção da castanha de caju, saindo de 80 mil toneladas no período de 2014-2015 para cerca de 140 mil toneladas em 2018-2019
Na ocasião o Ministro da Agricultura e Segurança Alimentar explicou que, o preço de referência ao produtor traduz a vontade expressa de assegurar que todos os actores da cadeia de caju sejam razoável e equitativamente remunerados, condição básica para um maior envolvimento e comprometimento no fomento, processamento, comercialização e industrialização do caju e consequente crescimento sustentável do subsector.
“O crescimento e desenvolvimento do subsector do caju, associado ao aumento das atribuições do Instituto de Caju com a introdução de outras amêndoas sob sua tutela bem como as mudanças politicas e socioeconómicas que se vêm registando no país, obrigam a um permanente processo de reestruturação e redefinição dos papeis desta”.
De acordo com o governante, depois de um período conturbado nos finais da década 90, decorrente das mudanças estruturais ocorridas na economia do país nos últimos anos o subsector vem registando níveis de crescimento encorajador.
“Actualmente a produção média comercializada é de 140.000 toneladas por campanha, com industria a registar uma capacidade potencial de cerca de 110.000 toneladas da qual explora 70.00 toneladas empregando mais de 17.000 trabalhadores”.
Na ocasião a Direcção do pelouro do MASA, sublinhou que é importante unir as sinergias para o sucesso de todos intervenientes do subsector do caju de modo que, o preço traduza interesses comuns, neste contexto devido a falta de consenso na proposta do preço da referência para a compra da castanha do caju no produtor na campanha de comercialização 2019-2020 a reunião foi adiada para o dia 30 de Setembro corrente para a fixação do preço de referência.

Artigos relacionados