Extensionistas combatem praga de lagarta do funil de milho

Mais de uma centena de extensionistas estão envolvidos em actividades de assistência aos produtores agrários, nas áreas afectadas pela praga de lagarta do funil de milho, na província de Maputo.
A medida faz parte de uma iniciativa da Direcção Provincial da Agricultura e Segurança Alimentar (DPASA), com vista a prevenir que a praga se propague e afecte outros campos e, consequentemente, comprometer a presente campanha agrária.
A província tem estado a ressentir-se da praga, em alguns distritos, entre os quais Namaacha e Boane, este último considerado o celeiro de Maputo.
Segundo revelou Elias Mula, técnico da DPASA, pelo menos 60 produtores estão a enfrentar a praga e cerca de 15 por cento das áreas cultivadas, a nível desta província, já são consideradas perdidas, em resultado da presença do lagarto do funil de milho.
Os produtores afectados beneficiaram, imediatamente, de um trabalho de pulverização que está em curso.
“A comunicação foi um pouco demorada, mas a partir da altura em que recebemos a informação foram enviadas as equipas e estão lá a trabalhar afincadamente, a monitorar, para, de uma vez para sempre, eliminar a praga. Pensamos que uma parte daquela cultura vai poder recuperar”, disse.
Contudo, o técnico assegurou que até ao momento não há motivos de alarme, pois a província continua estável, de uma forma geral.
No entanto, a fonte referiu que a DPASA tem estado a intensificar a comunicação com produtores dos demais distritos, para aprimorarem as medidas de prevenção a uma eventual eclosão da praga, através de pulverização aos campos de produção.
“Dizemos, também, aos agricultores para que, sempre que possível, nestas alturas do ano, circulem pelos campos de produção, de forma que qualquer surto que for identificado seja reportado e imediatamente combatido”, referiu.
Em outras épocas agrícolas, a província de Maputo tem vindo a registar, a esta altura do ano, a praga de gafanhoto, sobretudo nos distritos de Manhiça e Marracuene. Mas a situação foi controlada e a província regista alguma calmia.
A praga do lagarto do funil do milho ameaça devastar as culturas dos agricultores não só de Maputo, mas de todo o país e da região da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC).
A praga é comum nos países da América Latina e foi recentemente diagnosticada em África.
A Nigéria foi o primeiro país africano a detectar a praga invasora no continente, em 2016.
Na região da SADC, foi detectada em 2017. Foi diagnosticada em Moçambique no mesmo ano, depois de já ter sido detectada em países como Zâmbia, Zimbabwe, África do Sul, Malawi, Botswana, Tanzânia e Suazilândia.

Artigos relacionados

eskisehir escort porno
umraniye escort
sirinevler escort beylikduzu escort atakoy escort sisli escort bakirkoy escort escort bayan sirinevler escort escort bayan beylikduzu escort halkali escort escort bayan
porn
sivas escort yalova escort
escort malatya escort manisa
etlik escort