Em Nampula produtores de hortícolas animados com a demanda

Camponeses da cintura verde da cidade de Nampula estão empenhados no aumento das suas áreas de produção de hortícolas, visando responder à demanda do mercado e, consequentemente, incrementar os lucros para a melhoria da renda familiar.
O jornal “Notícias” entrevistou alguns produtores de hortícolas que no passado desenvolviam a actividade em pequena escala, obtendo rendimentos baixos. Estes explicam que, nos últimos dias, a procura tornou-se maior ao nível do mercado local, o que lhes obrigou a redobrar esforços para responder à demanda.
Albano Nacocho, produtor de 54 anos de idade, disse que começou a cultivar hortícolas em Dezembro de 2011, altura em que terminou o seu contrato de trabalho com uma empresa de construção civil.
Inicialmente, afirmou Nacocho, cultivava cebola, alface, couve e repolho em quantidades muito reduzidas. Normalmente, trabalhava com apenas 10 a 15 canteiros de produtos mas, de acordo com as suas palavras, mais tarde descobriu que aumentando a área de cultivo podia melhorar a produção e os rendimentos.
Por conta disso, em 2015 multiplicou o número de canteiros de hortícolas para uma média de 100 unidades, com um rendimento actual estimado em 300 meticais por cada canteiro.
A iniciativa visa, igualmente, satisfazer a demanda do mercado, cuja procura triplicou nos últimos anos, não obstante melhorar os rendimentos para o sustento das respectivas famílias.
Raimundo Carlos Pastola, outro produtor de 41 anos de idade, adiantou que a actividade está a apresentar-se actualmente com as melhores oportunidades de mercado, mas a maior preocupação prende-se com a falta de insecticidas para o combate e tratamento às pragas e doenças que prejudicam o desenvolvimento das plantas, bem como fertilizantes e sementes melhoradas.
Joaquim Armando é um cidadão que há 22 anos explora as margens do rio Monapo, bairro com o mesmo nome, arredores da cidade de Nampula, jovem que encontrou no agro-negócio a fonte para o sustento da sua família, composta por quatro pessoas.
Sob a assessoria do projecto francês Essore, os produtores de hortícolas, que exploram a cintura verde da urbe, pretendem constituir uma associação, com a denominação Akhili Mali, que traduzido para português significa “ideia é riqueza”.
O objectivo é capacitar os camponeses e prestar assistência técnica para a utilização de fertilizantes naturais, distribuição de sementes melhoradas e irrigação com recurso a folhas de plantas nativas.
“Quando não temos estrumes adquirimos adubo misturado com areia”, replicou Pastola, casado e pai de dois menores de idade.(Jornal Notícias)

Artigos relacionados

eskisehir escort porno
umraniye escort
sirinevler escort beylikduzu escort atakoy escort sisli escort bakırkoy escort escort bayan sirinevler escort escort bayan beylikduzu escort halkali escort escort bayan
porn
sivas escort yalova escort
escort malatya escort manisa
etlik escort